26 de abr de 2009

Ao som do trítono ou Canção de Anubis

Ao som do trítono ou Canção de Anubis



Café, para o possesso ter em suas meditações das mais oníricas a interrupção vil da vida,
recheando seu paletó escuro e atacando seus olhos como mal antigo.

Água do Nilo, quando vem o cão negro o tragar de frio e desconforto, no encalço de suas andanças mais terrificantes.

Deixou curtir seu ódio e libido nos piores dias de sua vida
Para em espasmos esquisitos enfrentar, no eleito o pior dia, o rio, e na pior noite...

Mijo, sangue, ácido, álcool:
Limpo o golpe sujo com todos esses líquidos mas a lágrima verte e meu rosto permanece seco – para a minha desgraça, pois gosto muito de sal.




Diego Guerra

12 de abr de 2009

Teoria das Supercordas

Teoria das Supercordas
- Fragilidade.-

Um passo claudicante aquém da lei
No Domínio das ídeias onde sou rei
Surge um acachapante conflíto
Tormenta mental que faz aflito

Versos tontos, escritos na parede mais externa do universo;
Que é opaca e transparente, partícula e onda resguardando o são do insano que reside no abismo do nada; ouço uma orquestra de cordas ressoar uma dissonância, violinos e harpas em luta, Sons canibais a engolirem uns aos outros.

Supercordas.
Vibram e vibram

J.